Lixo é lixo… Mas consciência ambiental é A diferença…

Gente.. Estou aqui hoje para falar sobre algo que mexeu comigo essa semana… Lixo… Não, eu não caí numa caçamba de lixo e fui levada para os confins do lixão na Suécia… Muito pelo contrário, tudo começou com a semana de folga do Sören, pois ele começa num novo emprego na próxima semana… Ele tinha planejado arrumar a garagem, montar prateleiras para organizar a tranqueirada e desfazer das coisas velhas e sem necessidade.. Assim, eu e o Andreas, o ajudamos separando, montando e limpando tudo.. Mas para onde vai tudo isso? Vocês já pensaram em quanto lixo uma pessoa é capaz de produzir por ano? Tudo, desde galhos de árvores recém cortados até vasilhinhas de sobremesa antigas.. De equipamentos obsoletos a restos de comida… Numa rápida Googlada, achei um dado de 2010, que diz que cada a habitante em BH produz 349 kg de lixo por ano.. Daí pensa quantas pessoas tem em BH, mais ou menos 2,5 milhões… Nada mais nada menos que quase 873 milhões de kg de lixo.. É lixo pra c——–…

No Brasil, mais especificamente em BH (mas acredito que posso estender para Minas), onde posso falar, acredito que a grande maioria das pessoas simplesmente joga tudo dentro de um saco azul ou preto, ou sacolinhas de supermercado que existem em todas as casas, que logo depois é colocado na porta da sua casa na rua, e um caminhão com pessoas vestidas de laranja penduradas passa e leva tudo pra bem longe de você, mantendo assim sua casa limpinha e cheirosa, sem o odor característico de comida apodrecendo em meio a papéis higiênicos e outras coisas… Além do lixo de todo dia, as pessoas trocam de móveis, utilizam embalagens de plástico, papelão, metal, acabam com a vida útil de baterias e pilhas, sem falar que com o boom tecnológico que vivenciamos atualmente, as pessoas estão trocando de PC e celular como trocam de roupas.. E cada nova tecnologia que surge, 5 ficam obsoletas… Eu lembro do meu primeiro Walkman, na minha casa tinha um toca discos (sim, de vinil), já utilizei uma máquina de escrever.. Isso atualmente soa como lanças e utensílios de pedra dos homens das cavernas para adolescentes e crianças, se eles souberem do que se tratam… Tudo isso que falei, simplesmente para fazer você pensar em quanto lixo produzimos…

Aqui na Suécia o lixo biológico e coisas que utilizamos como guardanapos, embalagens de alimentos e coisas que não podem ser reaproveitadas são recolhidos por um caminhão que passa na porta, assim como no Brasil, mas aqui uma alavanca faz o papel dos lixeiros, e joga todo o lixo do carrinho de lixo para o caminhão. Todo esse lixo não vai para um lixão. Ele é levado para incineração e resulta em produção de energia, além de que também é utilizado para produção de bio combustível. Após isso, aí sim o resíduo é levado para um aterro sanitário, o que deve corresponder a não mais do que 5% do lixo total, ou seja, 95% é reaproveitado! Não existem montanhas de lixo, que apodrecem no solo, inviabilizando-o. Não existem sacos de lixo com conteúdos dos mais variados que atraem, pássaros, ratos e outros animais, e em consequência disso, doenças. Não existem famílias que vivem do lixo, que tiram dos restos de outras famílias os objetos e móveis de suas casas, suas roupas e o pior, seu alimento. Quando vi como o lixo é tratado por aqui, e pensei em como algumas pessoas sobrevivem às custas do que nós rejeitamos, pensei: “Como o governo brasileiro tem consciência dessa situação, e não investe em simplesmente copiar, o que outros países fazem e funciona tão bem?”. Notícias como aprovação de aumento de salários para deputados, eleição, promessas, embrulham meu estômago quando percebo o quanto o Brasil é um país atrasado em questão de educação e consciência ambiental.

Já o lixo que separamos da garagem, móveis e pedaços de madeira, papelão e embalagens de produtos e equipamentos, objetos antigos dos mais variados, foram todos colocados na carretinha atrás do carro e levados, por nós mesmos, até um local onde as pessoas podem se desfazer de seus entulhos. Mas não pensem que é simplesmente chegar lá e jogar tudo num monte de entulho. Existem caçambas separadas para cada tipo de material: madeira, papelão, vidro, plástico, caixas e materiais de papel, embalagens com revestimento plástico, e um local especial para :baterias, pilhas, lâmpadas, computadores e eletrônicos, cabos elétricos. Acredito que não esteja me esquecendo de nada. Tudo é separado pelas próprias pessoas que levam o seu lixo lá e os depositam no seu devido local. Depois tudo é devidamente direcionado para a reciclagem e praticamente TUDO é reaproveitado de alguma maneira. Existe uma lei aqui que diz que as empresas produtoras de bens para os consumidores tem que dar cabo das embalagens em que vendem seus produtos assim como os próprios produtos quando terminam sua vida útil, ou seja, esses locais de recolhimento de lixo reciclável são mantidos e ou patrocinados também pelas próprias empresas que nos vendem tudo o que utilizamos por lei! Não é óbvio isso?! Ou sou só eu?!

IMG_0570

IMG_0567

Se não bastasse, aqui, em todos os supermercados de qualquer cidade, o próprio consumidor leva suas garrafas pet, latinhas de alumínio e garrafas de vidro para serem recolhidas e levadas para reciclagem. E outra, você recebe de volta o dinheiro que pagou pela embalagem desses produtos que usou, em forma de um ticket que pode ser levado ao caixa e descontado em dinheiro ou simplesmente abatido na sua compra normal. Eu achei um vídeo aqui na net do SPTV que mostra in loco como funciona o descarte do lixo na cidade de Borås (o repórter insiste em falar BorAAAs, e isso já ta doendo nos meus ouvidos sueco-inseridos haha… A pronúncia correta para brasileiros entenderem é Borós.. Isso mesmo, å=ó) Mas isso não acontece somente nessa cidade… Isso é o sistema de gerenciamento do lixo da Suécia! E cada cidade tem sua particularidades como a cor do saquinho, ou a separação e finalidade do lixo caseiro. Mas basicamente é igual.

Cidade na Suécia reaproveita 99% do lixo

Isso tudo poderia ser copiado, ensinado, aprendido… Mas até quando “interesses” de alguns vão continuar sendo o que é “certo” ou “cômodo” para a população no Brasil? Até quando a população vai continuar a acreditar que o país está no caminho certo? Que a economia vai bem e foda-se o resto? Please..

o_palhaço_borda

Anúncios

5 thoughts on “Lixo é lixo… Mas consciência ambiental é A diferença…

  1. Oi Priscila!
    Que coincidência! Estamos fazendo a limpeza da nossa casa e hoje mesmo vou a um desses sopsortering com o meu sogro para deixar as coisas que não vamos utilizar…
    O Brasil tem um grande problema no que se refere a produção de energia porque o governo brasileiro está preso as grandes empresas empreiteiras que querem construir hidrelétricas – e não pode ser em qualquer parte, tem que ser na Amazônia onde a limpeza do ‘terreno’ fica ainda mais cara – e é por isso que o Brasil não pensa em formas inteligentes de reaproveitamento do lixo – como aqui na Suécia, onde quase tudo se transforma em energia ou calor para o aquecimento de residências, o que diminui o consumo de outras fontes de energia.
    Em algumas cidades brasileiras existem cooperativas de catadores de lixo e enquanto o nosso governo não vai atrás de uma solução mais inteligente para o lixo nosso de cada dia penso que essa é a melhor forma de manejo – ao menos onde as cooperativas funcionam.
    Beijos

    • Ei Maria! Que coincidência hein!? Sim, essas cooperativas existem.. E em BH, onde eu morava, eu participava de um trabalho social de distribuição de lanche para moradores de rua, e um dos pontos que nós passávamos era a própria cooperativa dos catadores de lixo. Eu vi, com meus próprios olhos, e andei por entre as condições que eles trabalham. Você nunca deve ter visto a quantidade de ratos (do tamanho de gatos) que vivem por lá. Eles recolhem lixo doméstico, ou seja, têm que separar, por entre todas as porcarias que existem num lixo doméstico completo, o material que eles conseguem vender para obter seu sustento. E o restante do lixo biológico, fica lá, atraindo mais e mais ratos. Eu não acredito que isso pode ser chamado de solução, pois não é uma condição digna de uma pessoa trabalhar, por mais benéfico que seja seu trabalho. Acredito que ações simples da população, como a separação do seu lixo, poderiam ajudá-los na manutenção da limpeza do seu local de trabalho. E a prefeitura deveria ser a primeira a incentivar e criar campanhas para isso, além de cuidar da manutenção do lugar, enquanto uma solução melhor de gerenciamento do lixo não “aparece”.

      Bjoks!

  2. Oi, posso de dar mais um exemplo que nós vivemos toda semana levando o lanche pro pessoal da Asmare. Lembra da situação em que eles vivem pra separar os lixo que recebem vivendo no meio dos ratos que nós nem conseguíamos entrar pra entregar os lanches. Eles é que tinham que vir até no portão pra receber o lanche. Beijos, mamãe.

  3. Pingback: Mudei! | Uma Caipira na Suécia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s